Esta edição do campeonato do mundo fica sem dúvida marcada pelo extraordinário resultado daquele que é o melhor triatleta nacional de longa distância de sempre.

Sérgio Marques, aos 39 anos, alcançou o seu melhor registo no WCKona com 8:35:12 vencendo a classificação geral Age Group (amadores) com um tempo que o colocaria em 30º lugar entre profissionais. Na sua 8ª participação no WCKona, o Sérgio já chegou a fazer 19º da geral, já chegou a fazer o melhor registo na corrida com 2:43:55, mas o seu melhor tempo era 8:38:29.

Sérgio Marques foi Campeão do Mundo Ironman em Age-Groups

Para quem foi seguindo o WCKona cedo percebeu que o Sérgio iria discutir os primeiros lugares no seu AG 35-39, com uma natação ao seu nível em 58:51 saía em 26º do seu AG, com um ciclismo muito sólido e consistente em 4:37:55, cedo chegou ao top 10 e assim se manteve até à T2. Faltava a corrida, e rapidamente se viu o Sérgio nos primeiros lugares, até aqui em Portugal se conseguia ouvir o Hélder Milheiras em Ali’Drive a gritar “comeeee, comeeeeeeee” ainda com poucos km’s já dava para perceber que já não iria ser “apenas” o melhor do seu AG, mas sim o melhor de todos os AG, com uma corrida ao seu melhor nível em 2:53:19, com o 2º AG a 9:00 de distância, o nosso Sérgio Marques cruzava a meta dos sonhos como Campeão do Mundo.

O percurso do Sérgio Marques na longa distância foi-nos contado pelo próprio e pode agora ser recordado através de uma entrevista que publicámos em vídeo.

Rui Narigueta foi um dos cincos representantes de Portugal no Campeonato do Mundo de Ironman
Pedro Rui Silva foi um dos cincos representantes de Portugal no Campeonato do Mundo de Ironman

Este ano Portugal teve mais quatro triatletas no WCKona, o que vai sendo um hábito nos últimos anos, com destaque para a excelente estreia do Rui Narigueta que completou a prova em 9:35:52, alcançando o 32º lugar AG 40-44, dois repetentes com bom desempenho, o Pedro Rui Silva com 10:14:27 em 129º lugar AG 40-44, o Carlos Cruz com 10:25:05 em 120º lugar AG 45-49, e mais um estreante, o Nuno Fernandes que completou o sonho de muitos em 11:58:33, no 234º lugar AG 40-44.

Na competição profissional feminina, a maior surpresa acabou por ser a grande quebra da 4 vezes campeã do mundo Daniela Ryf, que nunca se encontrou e terminou na 13ª posição. Como habitual a prova foi lançada pela melhor nadadora, a inglesa Lucy Charles que completou os 3,8km de natação em 49:02, e manteve-se na frente da prova até meio do segmento de corrida, onde a alemã Anne Haug impôs a sua forte corrida completando os 42,2km em 2:51:07, sagrando se a Campeã Mundial Ironman 2019. Lucy Charles chegava pelo terceiro ano consecutivo em 2º lugar, a completar o pódio a australiana Sara Crowley que protagonizou nos últimos km’s uma excelente luta com Lucy.

Na competição profissional masculina, todos esperavam ver uma “ironwar” entre os dois últimos campeões alemães, Patrick Lange e Jan Frodeno, mas cedo se percebeu que o ex-campeão não estava bem, e acabou por desistir com poucos km’s de ciclismo, na frente formava-se um trio com Jan Frodeno, o americano Tim O’Donnell e o campeão olímpico Alistair Brownlee, após uma excelente natação em 47:31, o grupo seguia a bom ritmo quando nos últimos 40km dos 180 de ciclismo, Jan Frodeno decide imprimir um ritmo mais forte deixando os restantes para trás, acabou por chegar a T2 com mais de 2’ de vantagem, desta vez o segundo grupo, onde habitualmente estão os melhores “ciclistas”, como Cameron Wurf, Sebastian Kienle ou Lionel Sanders, nunca chegou perto dos homens da frente e acabavam o segmento com cerca de 4’ de atraso para Frodeno. Já nos 42,2 quilómetros não se registaram grandes alterações, dos 5 primeiros após o ciclismo apenas Brownlee, com uma grande quebra acabou por ceder, e o americano Ben Hoffman fazia uma excelente recuperação com a melhor corrida do dia em 2:43:08.

Jan Frodeno sagrava-se pela terceira vez Campeão Mundial Ironman 2019, seguido de Tim O’Donnell com um excelente 2º lugar, a completar o pódio mais um alemão, Sebastian Kienle em 3º lugar com uma prova muito consistente, Ben Hoffman garantia o 4º lugar e o australiano Cameron Wurf fechava o top 5 em 5º lugar.