João Silva conquista um lugar no pódio da 2019 Discovery World Cape Town e Melanie Santos alcança a 14ª posição.

João Silva no pódio da 2019 Discovery Triathlon World Cup Cape Town

A primeira Taça do Mundo de 2019 decorreu na Cidade do Cabo, na África do Sul, e contou com a presença de 6 portugueses: João Silva, Miguel Arraiolos, Vasco Vilaça e Ricardo Batista representavam Portugal nas elites masculinas, enquanto Melanie Santos, Helena Paula Carvalho e Andreia Ferrum, a elite feminina.

Relativamente à prova feminina, Melanie Santos e Helena Paula Carvalho, num segmento de natação com muito contato, acabaram por sair da água separadas por 2'', enquanto Andreia Ferrum perdeu mais tempo saindo mais atrasada. O ciclismo, com muito vento, tornava-o algo perigoso e com um grupo com muitas atletas tornou-se especialmente exigente e perigoso. Melanie e Helena mantiveram-se juntas e assim chegaram ao parque de transição. Já no segmento de corrida Melanie afastou-se definitivamente de Helena e acabou por finalizar a prova na 14ª posição, com Helena Paula Carvalho a ocupar a 22ª posição, a 42" da colega de seleção.

Sobre a sua prova, Melanie Santos disse-nos o seguinte:

“A prova foi boa. Senti-me bem nos três segmentos mas tive alguns contratempos normais à primeira prova da época. Foi um bom teste para meter ritmo competitivo para a WTS Abu Dhabi"
Melanie Santos no segmento de corrida da 2019 Discovery Triathlon World Cup Cape Town
Helena Carvalho no segmento de corrida da 2019 Discovery Triathlon World Cup Cape Town

Já as primeiras impressões da Helena Paula de Carvalho foram as seguintes:

“Corri quase o tempo inteiro num grupo de cinco atletas, do qual perdi o contato no final. Foi uma experiência nova e boa para mim correr num grupo, o que facilitou muito para aguentar um ritmo desconfortável durante quase 5 quilómetros”

Andreia Ferrum, terminou a prova na 53ª posição, tendo a vencedora da prova sido a Japonesa Ai Ueda.

Já a prova masculina, ganha pelo Britânico Alex Yee, teve um final emocionante, com o português João Silva a cortar a meta com o mesmo tempo do Americano Tony Smoragiewicz a 15" do vencedor, embora tenha sido atribuído a medalha de bronze ao triatleta luso.

No segmento de natação João Silva saiu da água juntamente com Ricardo Batista, 8'37", enquanto Vasco Vilaça e Miguel Arraiolos saíram com mais 21" que os seus colegas de seleção. No ciclismo, João Silva acabou por ganhar cerca de 10" a Ricardo Batista, enquanto Vasco Vilaça não se conseguia encontrar, acusando cansaço. Por sua vez Miguel Arraiolos não completaria o segmento de ciclismo, acabando ali a sua prova. Na corrida, João Silva, com o segundo melhor registo no segmento, conseguiu recuperar várias posições e cortar a meta exequo com o segundo classificado, a 18" do vencedor. Ricardo Batista e Vasco Vilaça, acabaram por fazer um segmento de corrida muito abaixo das suas próprias expectativas e possibilidades, muito por força da inadaptação ao calor que se fez sentir durante a prova, levando-os a ocupar o 42° e 55° lugar respetivamente.

Ricardo Batista, o mais jovem atleta da comitiva Portuguesa, dá-nos conta das sensações que foi tendo ao longo da prova:

"Domingo foi a primeira prova da minha época, uma óptima prova para começar o ano. Natação bem conseguida apesar de não estar numa boa posição de saída. No ciclismo, que foi bastante duro, senti-me sempre bem e com força e conseguimos alcançar a fuga e assim acabamos por chegar todos juntos ao parque de transição. Por fim, na corrida acabei por perder muitas posições devido ao cansaço acumulado, sentindo-me sem força e muito abafado. Foi uma prova apesar de tudo positiva pois consegui retirar muitas aprendizagens positivas e foi uma sensação espetacular competir com a elite mundial."

O Miguel Arraiolos também nos deu conta da forma como lhe correu a prova e disse-nos o seguinte:

"Depois de ter feito uma natacao mediana, não consegui evitar algumas situações no segmento de ciclismo. Ao seguir num grupo de ciclismo perseguidor, tive que arriscar um pouco mais e acabei por ficar preso numa queda a meio do grupo e no seguimento não me senti em condições de recuperar o tempo perdido acabando por ficar sozinho. Foi apenas a primeira prova do ano e agora é trabalhar para as próximas."
Vasco Vilaça no segmento de ciclismo da 2019 Discovery Triathlon World Cup Cape Town

Sobre a sua prova, Vasco Vilaça fez-nos saber:

"A prova de Cape Town foi uma prova menos conseguida. Infelizmente senti-me muito fraco durante a prova, com falta de energia e força desde o início, o que me levou a perder de grupos na bicicleta e fazer uma corrida sofrida. Agora é analisar o porquê deste resultado”